31 de janeiro de 2010

MÚSICA DA SEMANA- 31/01

Sabe aquela música que você canta (mesmo que seja mal) sem parar e sem ao menos saber do que se trata a letra? Bem, faço isso com uma certa... frequencia (é como dizem: não trema na linguiça [aí que piada tosca). E a artista com que isso acontece comigo toda vez é a... Beyoncé. Ela tem uma voz excelente, mas eu sou ruim de ouvir o que as pessoas falam (ainda mais em inglês), e com a voz dela fica mais difícil ainda. Então normalmente pego as letras de suas músicas, como esta que foi escolhida, que é tão praticamente uma dedicatória para amantes...

OBS: Não se esqueçam que a ó tema da música do público é: a própria! (Beyoncé)


Halo- Beyoncé


29 de janeiro de 2010

PRÉ-ESTREIAS: NINE






BE A SINGER! BE A LOVER! BE ITALIAN! Da primeira vez que eu vi este trailer eu fiquei cantando, e cantando e cantando... mal. Como diz um grande filósofo (orkut): "Não sei cantar, mas eu canto muito". Nine era para ser um dos últimos filmes de 2009 no Brasil (olha só! Trocadilho? Acho que não), mas para variar foi adiado para um mês depois. Mas graças ao bom Deus do Cinema, até agora os tradutores brasileiros ainda não pegaram o filme e traduziram para Nove.
Do mesmo diretor que Chicago e Memórias de uma Gueixa, Nine é um musical sobre a hstória do diretor Guido Contini e sua vida com nove mulheres, incluindo sua mulher, sua amante, sua musa, sua mãe, uma prostituta, uma jornalista, entre outras.


Além das ótimas músicas (já possuo a trilha sonora) e as coreografias (apresentadas nos trailers), a chave para Nine ser um grande sucesso (pelo menos no Brasil, porque nos EUA foi um fracasso [na postagem do filme eu explico. Parece que temos uma conspiração nos bastidores]) é o seu elenco... de mulheres. Todo mundo (ou não) sabe que a Nicole Kidman canta, dança e é uma excelente atriz. A Kate Hudson sempre foi (foi?) uma boa atriz, mas parece que ela está tentando se superar em Nine. E pessoal, a minha maior surpresa não é a Fergie (Fergie? Como?) estar no filme, mas sim a Penélope Cruz (não vou falar que ela é minha porque aí a disputa será extremamente grande). Acho que de todas as coisas que Nine pode oferecer, a que mais me deixa ansioso é a Penélope. Além dela estar bem sexy no filme, eu nunca a ouvi cantar e quero muito!

Até agora Nine pode fechar a lista dos filmes de 2009 (já que seu lançamento oficial foi neste ano) com chave de ouro (tudo bem que esse ano lançaram poucos destaques e grandes destaques, mas nada melhor do um musical para ficar na nossa cabeça, certo?). E quem sabe? Dependendo de como estiver o filme (muitos estão falando que é ruim de doer, outros que é maravilhoso, basta interpretar), podemos ter mais um filme concorrendo ao Oscar com mérito (mas pode tirar Amor Sem Escalas de Roteiro. Este sempre irá pertencer ao Tarantino.

28 de janeiro de 2010

MÚSICA DO PÚBLICO- 28/01

Como o FM foi o único que indicou uma música (e de acordo com as regras é assim agora [embora essa regra sempre tenha valido]) a música dele foi escolhida. Ainda bem! Adoro Mika! Mesmo que agora ele esteja meio apagado, mas continuo adorando suas músicas.
Como o primeiro tema foi muito difícil, este será mais fácil: Beyoncé! Indiquem qualquer música da cantora! Mas não se esqueçam da música que a música dessa semana é...

Rain- Mika




26 de janeiro de 2010

TUDO SOBRE MINHA MÃE- Drama misturado com comédia. Existe coisa melhor (no cinema, é claro)?

Ah seu tarado! Mas antes vamos ler sobre o que ele escreveu...

Tem uma coisa que eu acho muito engraçado (não do tipo rarara, mas sim de sátira): a maioria dos filmes do Almodóvar estão (pelo menos na locadora perto de minha antiga casa) na sessão de drama (e descobri que muitos outros lugares também colocam nesse gênero) e isso é uma coisa que eu não entendo: os filmes do Almodóvar são comédia, mesmo com temas tão sérios! (pelo menos eu acho Abraços Partidos [em alguns pedaços] e Volver muito engraçados!)
E agora mais um filme se estabelece na categoria de filmes comédia/drama de Almodóvar: Tudo Sobre Minha Mãe (uma homenagem clara ao clássico cinematográfico Um Bonde Chamado Desejo [ou com o título brasileiro: Uma Rua Chamada Pecado {sim, não faz sentido. Esses títulos brasileiros...{]).
Mas vamos ao filme:

Assim que eu filho morre, Manuela tenta achar o pai do mesmo, o transexual Lola, para contar sobre o falecimento do filho (embora ele nem saiba que o mesmo exista). Nessa jornada Manuela acaba encontrando e ajudando María, que foi seduzida pela sensualidade de Lola e acaba ficando grávida do transexual. Além disso, Manuela encontra uma grande amizade do passado, o transexual Agrado, e uma nova amizade com a atriz Huma, que está interpretando Blanche na clássica peça (e filme) Um Bonde Chamado Desejo.

Em todos os filmes de Almodóvar acredito que cada personagem traga um clima diferente para a trama, e, um personagem coadjuvante que tenha um destaque maior que os outros, seja para dar graça, uma lição ou porque tem muita importância para a película. Em Tudo Sobre Minha Mãe não foi diferente: o papel ficou com... um transexual? Sim pessoal! A atriz Antonia San Juan (um transexual estrelado por um... transexual. Onde mais isso pode existir? Em Hollywood? Acho que não!) interpreta Agrado e é simplesmente cômica, divertida e escandalosa, conseguindo o ápice da "graça" quando sobe no palco e começa a contar sua história. Imaigne não tentar acordar seus pais de madrugada enquanto você se mata de rir. É bem difícil, pelo menos para mim que ri de qualquer coisa (ainda com os roteiros que o Almodóvar faz).

As atuações são ótimas! Cecilia Roth (Manuela) ficou encarregada de todos os temas sérios: ser mãe (carinhosa, acolhedoura, trabalhadora e o mais importante: ser uma mulher forte, mesmo tendo que enfrentar muitos problemas). Penélope Cruz como a frágil e delicada María, que precisa de ajuda (atendida pela carinhosa Manuela). Agrado fica encarregado praticamente da comédia do filme (e o faz tão bem). Marisa Paredes ficou encarregada de ser a mulher que segue seus sonhos e se transforma numa grande atriz.

Na verdade este é o segundo filme de Almodóvar que assisto que a maior parte do seu elenco é composto por mulheres e estas como devem ser: sempre fortes. Se você quer começar a ver os filmes de Almodóvar (sempre mudo a lista quando vejo um novo filme dele), comece por Volver. Depois vá para Tudo Sobre Minha Mãe (mas se for homofóbico, não assista nem esse nem o próximo). Má Educação é o seguinte (de novo: no anti-homos) e feche com Abraços Partidos (quando sair em DVD). Será que a lista vai mudar quando eu assistir Fale com Ela? Que mude! Nada melhor do que bons filmes para assistir, ainda mais com as férias chegando ao fim...

24 de janeiro de 2010

MÚSICA DA SEMANA E NOVAS REGRAS DA MÚSICA DO PÚBLICO

Vamos começar com as regras da Música do Público que eu sei que vocês estão (ou não) loucos para indicarem suas músicas...
1- Cada pessoa pode indicar até três músicas;
2-As músicas serão colocadas em votação nas segundas-feiras (ou terças, caso o dono do blog tiver um problema atrás da orelha);
3- A música será escolhida a partir das duas músicas mais votadas (ou três músicas, caso ocorra um empate).
4-Se apenas uma pessoa indicar uma música, a mesma já será escolhida.
5-Todo o tipo de música são aceitos (menos pagode [brincadeira, são todos mesmo])
E eis que suge a nova regra:
6- A cada semana um tema será dado por mim, e assim quero que vocês indiquem músicas a partir desse tema (para não acontecer uma disputa entre excelentes músicas, só que ambas falando de temas diferentes).
E como estamos para começar as aulas (e trabalho), espero deixar um pouco de diversão antes que as mesmas comecem. Desse modo, o tema da Música do Público dessa semana é: techno. Assim como a Música da Semana.

Walk On Water- Basshunter




22 de janeiro de 2010

AVATAR- Mais do que efeitos. Um futuro falando do agora

Caramba! Somos imbatíveis!


Muitos aqui devem saber que eu não gosto muito de Titanic e eu nunca disse o por quê. É simples: nunca gostei do melodrama da história ("Estou voando!", "Pareço um pássaro!"). Nunca colou comigo (mas quem sabe agora cole com o ótimo melodrama que estou passando com Almodóvar, certo?). Porém, quando chega os últimos momentos, assim que o grande navio atinge o iceberg, o grande diretor James Cameron conseguiu fazer algo fantástico com a cena, com o clima, com a tensão e com a catástrofe, conseguindo prender meu traseiro gordo e flácido todas as vezes que o navio afunda na frente da tela (e em seu novo filme conseguiu fazer a mesma coisa com uma árvore, algo que parece fútil para algumas pessoas). E assim, depois de muitos anos de seu grande blockbuster, eis que surge Avatar. E pessoal, o filme não é superestimado. Acredite em mim. Mas claro: tudo depende de como você viveu este filme.


A história não é tão complexa: alguns humanos vão para Pandora, o planeta dos nativos Na'vi, para conseguir um elemento precioso que vale 20 bilhões de dólares o quilo. Desse modo, eles criam os avatares, corpos que são controlados a partir de uma máquina (como em Matrix, só que sem os trecos nas costas). Colocando o cérebro e a máquina em sintonia, os avatares podem ser usados para explorar o planeta . Um desses avatares é o fuzileiro paraplégico Jake Sully, que acaba se juntando aos Na'vi e cria uma forte aliança com os nativos, sem falar na sua paixão pela filha do chefe da tribo. Mas o pior está para acontecer (como sempre, o pior está para acontecer).


As pessoas podem babar pelos efeitos especiais (assim como eu), mas o que as pessoas não sabem é o que ver por outros olhos. Por exemplo: minha tia e meu tio falaram que Pandora tinha muita coisa para ser vista. Meus pais falaram que a história do filme em si é como a história da indígena Pocahontas, o "civilizado" John Smith e o vilão ganansioso Governador Ratcliffe, só que no espaço. Concordo sobre ambas (tanto que a da Pocahontas eu pensei enquanto assistia ao filme), mas acredito que Cameron decidiu ir além. O papel de Pocahontas e Smith continuam intactos, mas um governador se torna em toda a raça humana (com algumas exceções). Qual a diferença de escravizar um indígena e um alienígena? Afinal ambos são nativos, certo? Muitos podem ter esse pensamento de sempre querer escravizar e ser o "civilizado", mas eu penso o contrário: e se nós formos invadidos? E se nós fossemos massacrados? E se não fossemos OS "civilizados" que pensávamos ser? E pior: perdermos a batlha e nos tornarmos escravos. Pense um pouco nisso. Melhor: pense como isso é agora. Guerras no Iraque, escravidão de crianças para trabalhar, escravidão política, econômica, sexual (não só homossexuais, como a batalha interminável de Homem X Mulher), social, espiritual, racial, ideológica. Se sentiu péssimo? Pesado? Bem, acredito que foi nesse papel que o James Cameron queria que nos colocar, nem que fosse por alguns instantes. Acho que ele queria que fossemos ao mesmo tempo o escravizado e o soberano. Macabro, não?


Cameron fez um grande trabalho em efeitos especiais. Meu pai sempre diz: "Quando vejo O Resgate do Soldado Ryan, eu me sinto dentro do filme". Não sei se foi pela tela enorme ou se foram os óculos 3-D, mas Cameron faz o possível para conseguir colocar todos os espectadores dentro de Pandora, passar por tudo que o povo passa, sentir tudo o que o povo sente. E eu... consegui, eu acho. Me senti como meu pai se sentiu ao assistir Ryan.
Mas os efeitos não são assim únicos. Vários filmes têm os mesmos "babadores" efeitos gráficos (como a grande triologia O Senhor dos Anéis). Sabe qual foi a diferença pessoal? O jeito que Cameron utilizou esses efeitos (assim como o Peter Jackson faz). Afinal, ele tem sua fama por causa disso. Ele é um dos poucos diretores que consegue transformar efeitos em emoção (alguém por favor avisa o Cameron para dar aulas ao Michael Bay? Obrigado!) e melhor ainda: ele consegue fazer com que as pessoas percam a noção do tempo (o filme passou voando pelos meus olhos) em seu novo mundo.


Então nesse exato momento alguns de vocês devem estar pensando sobre o que eu falava sobre o Globo de Ouro e sobre Bastardos. Agora que vi Avatar, novas conclusões são tomadas. Roteiro e Melhor Filme continuam com Tarantino, mas Direção e Efeitos ficam com o Cameron sem pensar duas vezes.
Mas infelizmente pessoal viciado-em-Bastardos-e-fãs-do-Taranta-ao-ponto-de-se-matar-se-ele-não-ganhar-o-Oscar-como-eu, tenho más notícias: Avatar ganhará Melhor filme, sabe por quê? Porque o que Taranta mostra em diálogos o que o Cameron mostra em efeitos magníficos. Tudo é uma questão de gosto. O que você prefere: diálogos construtivos ou imagens magníficas? Sei do que a Academia gosta e a segunda opção é quase garantida. Mas pelo menos, dessa vez, acredito que nenhuma das escolhas sejam erradas. Claro, o Oscar de Roteiro tem que ir para o Tarantino. Se não for... Bem... aí eu deixo vocês matarem todos eles (com a minha ajuda claro! Não quero deixar toda a diversão para vocês!). Mas do mesmo modo: Avatar não vai deixar de ser o grande filme que é. E se tiver uma triologia, que venha! (só que por favor não demore 12 anos para cada filme sair no cinema).

21 de janeiro de 2010

MÚSICA DO PÚBLICO- 21/01

Que ódio (de mim)! Como posso escolher entre uma música triste como Do I Have To Cry For You ou uma música alegre (e viciante) como Suddenly I See? Simplesmente não consigo. Então vou abrir novamente uma exceção: as duas músicas foram escolhidas. E para isso não acontecer novamente, novas regras serão estipuladas sobre a Música do Público. Não indiquem nenhuma música (por favor) até segunda ordem (hehehe), porque senão fará uma grande confusão pessoal. Mas vamos para as músicas:


Suddenly I See- KT Tunstall





Do I Have To Cry For You- Nick Carter (detalhe: como estou assistindo One Tree Hill, achei esse video com a música. Notem no antigo símbolo da Warner. É o mesmo da época que passava Freakkazoid e Pink e o Cérebro. Momento nostalgia!)



20 de janeiro de 2010

GLOBO DE OURO 2010- O que antes era conhecido como algo justo, virou roubada (CINEMA)

Fui inglorioso!

E agora pessoal, vamos para cinema:

Melhor Filme Animado: Cheio de filmes criativos, só o filme Tá Chovendo Hambúrger que tenha sido o menos indicado para este prêmio. Agora: a disputa entre um Pixar e um filmes estilo Clássico foi assim "disputado", mas era óbvio que Up iria ganhar (e se não ganhasse, morte à todos!). O filme é excelente, divertido, dramático, do jeito que uma animação Pixar é. Mais do que merecido!

Melhor Ator Coadjuvante: Ninguém tinha dúvida de que o Christopher Waltz fosse ganhar por Bastardos Inglórios, mas eu até que tive um momento de dúvida (já que Bastardos estava perdendo todos os prêmios que ele foi indicado, e, foi assim até o final da noite).

Melhor Filme Estrangeiro: gostaria de que Abraços Partidos tivesse ganho, mas muita gente está falando sobre A Fita Branca há um bom tempo. Tenho que conferir este filme...


Melhor Atriz em Comédia ou Musical: Alguém tinha dúvida alguma? Meryl Streep na veia, no sangue, no estômago, no intestino, seja o que for! Ela está excelente em Julie & Julia, como em qualquer outro filme seu.

Melhor Ator em Comédia ou Musical: Eis uma coisa que eu achei estranha. Afinal: Sherlock Holmes é comédia ou ação? Os dois? Acho que sim, já que o Robert Downey Jr. ganhou o prêmio por Sherlock. Pelo menos escolheram uma boa atuação...

Melhor Atriz em Drama: este então já se falava desde que o filme lançou. Era óbvio que a Sandra Bullock iria ganhar o prêmio. E o filme ainda não lançou no Brasil (assim como Nine! Que ódio!)


Melhor Roteiro: Tudo bem o fato de minha pessoa não ter visto Amor Sem Escala (outro que ainda não lançou), mas Tarantino fez um excelente trabalho com Bastardos Inglórios! Eis uma vitória ingloriosa!


Melhor Comédia ou Musical: Ok, este talvez tenha sido o prêmio mais absurdo. Como Se Beber, Não Case pode ganhar do criativo e divertido (500) Dias Com Ela? Pior ainda: Se Beber ganhou de (500) e ainda de Julie & Julia! O prêmio mais injustiçado da noite? Também acho!


Melhor Drama: Estava torcendo muitoooo (sim, com todos esses "os") para Bastardos, mas com o grande sucesso de Avatar era meio lógico que o James Cameron iria ganhar.


Melhor Diretor: Novamente James Cameron. Ok, o cara está há anos fazendo o Avatar, este pelo menos tem um pouco de bom senso.


Agora vamos lá: Novamente, como Se beber, Não Case ganhou um Globo de Ouro? Como Tarantino pode sair de mãos vazias depois de ter feito o excelente Bastardos Inglórios? Como (500) Dias Com Ela não ganhou melhor comédia? Isto significa uma coisa pessoal: assim como o Oscar, o Globo de Ouro virou uma roubada, premiando todos os filmes "pops" e deixando a criatividade de lado. Daqui a pouco, o Tarantino fará seu melhor filme (de novo) e quem ganhará será Alvin e os Esquilos XII- Mais nozes do que nunca!. Que vergonha... Mas quem sabe? O Oscar sempre guarda alguns truques dentro da cartola. Será que Bastardos ainda pode ganhar algum prêmio? Espero que sim...

GLOBO DE OURO 2010- O que antes era conhecido como algo justo, virou roubada

Ha! Nós ganhamos de 30 Rock!

Eu consegui ver mais ou menos o Globo de Ouro desse ano (já que meu primo ficava mudando de canal para ver BBB [o qual ainda falarei no blog]). Invés de fazer uma grande postagem comentado cada coisa, tim-tim por tim-tim farei breve comentários de algumas categorias, pode ser? Claro, com as injustiças, não terei piedade.


Começando por televisão (essa postagem, próxima sobre cinema):


Melhor Série Dramática: gostei do fato de Mad Men ter ganho, sabe por quê? É quase impossível uma série nova ganhar um Globo de Ouro (e olha que isso aconteceu duas vezes nesta cerimônia). Mas estava torcendo para House e não seria injusto se Dexter ganhasse. Quanto aos outros: nunca vi!


Melhor Ator por Série Dramática: Será que o ator de Dexter ganhou o prêmio só porque está com cancêr? Não sei, nunca vi a série, mas ainda estava apostando em Hugh Laurie como o grande médico House, sem falar nessa nova temporada que está ótima!


Melhor Atriz em Série Cômica: que pena que a Lea Michele não ganhou por Glee, mas fiquei feliz pela Toni Collete e fiquei ainda feliz pelo fato da Tina Fey não ter ganho. Gosto dela (muito!), mas chega de só 30 Rock ganhar no Globo de Ouro!


Melhor Ator em Série Cômica: isso explica o comentário anterior: 30 Rock sempre ganha prêmios no Globo de Ouro e o Alec Baldwin ganhou o de melhor ator (algo como uma recompensa pela série não ter ganho nenhum outro prêmio durante o resto da noite). De novo: nada de revelante em sua atuação, prefiro qualquer outro que foi indicado.


Melhor Série Cômica: Já pensava que 30 Rock iria ganhar mais uma vez, mas acreditem ou não, Glee ganhou! Na hora fiquei abismado. Como uma nova série ganhou de 30 Rock? Como Glee ganhou da série que o Globo de Ouro baba por ela (30 Rock)? Será que isso é uma reviravolta? Mas vamos combinar: nada mais genial do que criar uma série musical.


Melhor Atriz Coadjuvante em Série: Novamente, queria que a Jane Lynch de Glee ganhasse. O resto desconheço...


Próxima postagem: cinema e explicação do título...

17 de janeiro de 2010

MÚSICA DA SEMANA- 17/01

Como alguns de vocês sabem, o musical Nine que iria lançar aqui no Brasil dia 15 de Janeiro, se não me engano, foi adiado para o dia 29, o que me deixou extremamente p***, já que era um dos filmes que eu mais estava ansioso para ver desde o início de 2009. Sendo assim, como estou meio revoltado (vamos à luta!) a postagem que fiz sobre Nine vai sair essa semana e a esta música da semana já sai com uma música do próprio musical (mesmo que o filme só saia apenas no dia 29). Uma música que é simplesmente viciante:
OBS: INDIQUEM A MÚSICA DO PÚBLICO!

Cinema Italiano- Nine

16 de janeiro de 2010

MOMENTOS BIZARROS 10- Primeiros do ano

Ok, esse cara começou o ano pior que eu



Vocês realmente acharam mesmo que minha sorte mudou? Que nada, estava apenas esperando ter mais de um (pelo menos) momento bizarro (já que estou há um bom tempo dentro de casa, saíndo apenas para ir na locadora, shopping, padaria e supermercado) os momentos diminuíram). E se vocês acham que demorou todo esse tempo para surgir um momento bizarro, saibam: o último momento bizarro aconteceu dia quatorze e o primeiro exatamente no dia primeiro de Janeiro, fazendo com que eu começasse o ano com tudo, menos com o famoso pé direito.

Como muitos de vocês sabem eu estava na praia no final do ano. Depois da virada, mais ou menos por volta da uma hora da manhã, começou a chover. E daí não parou mais. O dia inteiro choveu (não sei se foi assim nos outros lugares do país). Simplesmente o ano não começou com o pé direito, climaticamente falando, é claro, para nós brasileiros. Mas então, de noite, o alarme do carro do meu pai tocou e eu já pensei no pior. Meu amigo e eu ficamos olhando o carro da varanda, junto de nossas mães, enquanto meu pai e o meu tio foram ver o que tinha acontecido, e pior, eles estavam demorando. Mas então eles surgem pela porta da frente e contam o que aconteceu: minha irmã deixou a janela do carro aberta (eu não tinha viajado com eles. Eu tinha antes com minha tia e meu tio) e como choveu o dia inteiro, já deu para imaginar: tinha uma poça imensa no carro (de acordo com o meu pai), e pior, iríamos embora no dia seguinte e detalhe: não fez Sol. Mas não sei se isso se compara ao que aconteceu no dia quatorze.

Foi no dia que eu fui ver com meus primos (decisão de última hora, já que só ia minha irmã e eu) Sherlock Holmes. Estavamos lá na praça de alimentação, sentados numa mesa. Eis que surge uma mulher do nada querendo falar comigo e com a minha prima (que estava do meu lado). Primeiro eu pensei: "Ou ela vai me matar ou vai pedir informação. Mas que tipo de informação ela quer num shopping?". Eis então que ela fala que é uma dessas moças que fica procurando jovens para sair em revista. Eu não sabia se ria ou se fica envergonhado. Se você escolheu a segunda opção, acertou. Eu não conseguia nem falar direito (ainda bem que minha prima falou por nós). A moça pediu nossos telefones e nomes e tive que falar o verdadeiro, senão assim que eu falasse "me chamo Bruno", todo mundo começaria a rir e eu seria desmascarado (agora me senti como um fugitivo. Que legal!), mas assim que ela foi embora, todos começamos a rir. E assim que falei com meus pais eu disse: se uma mulher ligar, fala que vocês não deixaram.
Depois que a mulher foi embora eu fiquei com a maior vergonha possível. Agora estou esperando o telefone tocar para ver se a moça liga, e se ligar, falar que não posso, já que meus pais não autorizaram (o que não é verdade. Na verdade, eles não falaram nada). Mas no momento estou com medo do telefone tocar e ficar com vergonha novamente, já que sempre fico com vergonha no telefone. E já que vocês sabem disso: nunca usem isso contra mim!

15 de janeiro de 2010

SHERLOCK HOLMES- Tantos acertos para um erro: o diretor

Será que ele também vai nos culpar?


Vocês sabem quem é o Guy Ritchie? Ele não é um diretor muito famoso nem nada, sendo RocknRolla, talvez seu filme mais famoso. Ele é mais "famoso" por ter se casado com a Madonna, embora eles tenham se separado. E Ritchie foi encaregado para trazer um grande clássico da litearatura de volta para as telas do cinema: Sherlock Holmes. E entenda uma cosia: nunca vi ou li alguma coisa do Sherlock (além do papel criado no filme Bater ou Correr em Londres), sendo assim, considere isto uma primeira viagem dentro deste mundo.

A história começa já com Sherlock e Watson resolvendo um caso contra o assassino Lorde Blackwood, este sendo detido, preso e enforcado. Após três meses do fim do caso, se descobre que o túmulo de Blackwood foi violado e que o mesmo não está dentro do caixão, sendo assim ele é considerado como um "ressucitado" (além do fato de uma testemunha ter visto o próprio andando). Agora Sherlock e Watson têm que voltar ao caso e tentar descobrir o que aconteceu com o homem que está causando tanto caos em Londres.

As atuações estão muito boas. Eu sempre achei o Robert Downey Jr. meio difícil de se decifrar. Por quê? Bem, eu não sou um admirador de Homem de Ferro (já que no final [desculpe estragar o final do filme] ele confessa que é o Homem de Ferro, ou seja, perde toda o "clima" de ser super-herói: se esconder de todos. Sendo assim, não sou um grande admirador da película), muito menos em seu papel em Trovão Tropical, mas gostei dele como o famoso detetive (principalmente pelo fato dele ser meio maluco. Adoro gênios malucos).
o Jude Law (como Watson) sempre gostei, seja em A.I, seja em Closer ou a comédia romântica O Amor não tira Férias, ele sempre esteve bem e sempre escolheu bons roteiros e personagens, e não fez feio em no papel do fiel escudeiro do detetive.
O mesmo vale para a Rachel McAdams (como Irene): sempre a vi bem, sendo no suspense Voo Noturno ou na comédia adolescente Meninas Malvadas, mas seu melhor papel sem dúvida foi em Diários de uma Paixão. Mas continuemos falando de Holmes...

Sendo assim, Sherlock tinha tudo para ser excelente, certo? Sem falar que a história segue o mesmo ritmo de O Código da Vinci, Anjos e Demônios, A Lenda do Tesouro Perdido, House; uma ação engraçada como as lutas de filmes de Jackie Chan, como por exemplo Bater ou Correr (em Londres), e, uma fotografia também muito boa (lembra um pouco Austrália e Sweeney Todd). Então qual o problema de Sherlock? Simples: o diretor. Ele não sabe o que fazer com tudo isso. Ele não sabe quando deve usar a câmera lenta (fracassa terrivelmente), não sabe qual clima dar em certos momentos (e em certos momentos, quebra completamente o clima), seja suspense, comédia, romance, ação, etc. E uma dica para ele: nunca coloque a câmera de ponta cabeça, pois os espectadores (nós) simplesmente perdemos todo a visão do que poderíamos ver, olha só! Se a câmera estivesse normal!

Se você quer fugir de Lua Nova, já assistiu Avatar (ou está tentando, porque todas as salas parecem estar esgotadas), não quer assistir nem ferrando o filme do Lula, nem Alvin e os Esquilos 2, e pretende assistir um filme de ação, eis que eu te sugiro o filme um divertido e bom detetive: Sherlock. Mesmo com alguns erros do diretor (quem podem passar por muitos despercebidos), podemos nos divertir com a película (claro, se você odeia ação depois não vem reclamar que não gostou). Agora tenho que esperar dia 21 para outro filme de ação: Avatar.

14 de janeiro de 2010

PRIMEIRA MÚSICA DO PÚBLICO- 14/01

Sendo a primeira música do público nem tive que pensar duas vezes quando vi os finalistas: Bad Romance ou God Girls Go Bad. O clip de Bad Romance é muito estranho (mesmo), mas a música é viciante. Já God Girls tem um refrão que me irrita e um bom clip. Eu tenho a música e toda vez que ele fala "Good Girls Go Bad" e ele fica repetindo o "Bad" parece uma ovelha (já falei isso pra minha irmã. É estranho e nem se comprara com os "gemidos" da Lady Gaga em Romance). Mas não estou falando da qualidade de clips, mas sim da qualidade das músias certo? Então a vencedora é sem dúvida Bad Romance (que foi quase a primeira Música da Semana).
E quem quiser, já pode indicar a música da próxima semana!


Bad Romance- Lady Gaga