30 de março de 2010

THIS IS IT- Os momentos de Michael Jackson

Au!

Como eu já disse pessoal, eu não sou muito fã do MJ. Na verdade, eu não gostava dele como pessoa (pra mim, qualquer pessoa que coloca o filho pela janela já não merece meu respeito, principalmente se corta a rede e deixa o mesmo cair). E eu também não era muito fã, porque eu nunca tinha ouvido suas músicas, além das tão famosas. Agora, depois de assistir This Is It, as coisas mudaram. Não me tornei um fã viciado, mas gostei de MJ como um artista.

Pra quem não sabe, This is It é um "pseudo-documentário" sobre as filmagens dos ensaios do Michael Jackson se preparando para os seus shows, estes que estavam lotados e esgotados. O documentário mostra o lado artístico de Michael, o qual era perfeccionista e queria que as músicas do show fossem iguais as dos Cds, porque os fãs mereciam nada mais nada menos do que o melhor, e ele exigia isso não só dele, mas de todo o grupo.

Se gostei do filme? Sim gostei, mas não acho que seja um documentário informativo, mas sim um documentário de entretenimento. Normalmente um documentário é aquela coisa totalmente informativa, como Roger e Eu e Uma Verdade Incoveniente. This Is It estaria mais para os bastidores do show, com algumas informações interessantes e apresentações. Porém, isso não o torna mais ou menos divertido, melhor ainda, o torna único (será que esse é o futuro dos documentários?).

Sendo assim, se você tem vontade de descobrir como o Michael agia, falava, se preparava para os shows, te indico This is It ( e a música They Don't Really Care About Us, simplesmente fantástica!). Se você acha que será um documentário sobre toda a vida dele, da vida no Jackson 5, dos escândalos de pedofilia, saiba que o filme não tem nada disso. Além disso, meu grau na qualidade artística desse fenômeno aumentou bastante, mas como pessoa, ele ainda sofria de certos distúrbios (ele não lembrava os macacos de Planeta dos Macacos, ou os Ets de Marte Ataca?)

28 de março de 2010

MÚSICA DA SEMANA- 28/03

Agora que já escrevi sobre O Despertar da Primavera, eu posso fazer mais uma propaganda básica, não? Pessoal, a peça não está chamando muito o público de SP (o teatro dobrou de tamanho e não há muita propaganda, embora tenha feito um extremo sucesso no Rio), então estamos fazendo o possível para levar as pessoas ao teatro. O preço está mais do que acessível pessoal! Hairpsray é legal, ok, mas O Despertar é algo muito mais além do espetacular.

E com todo esse clima de que a peça tem que continuar, eis nossa música da semana:


The Show Must Go On- Queen

26 de março de 2010

O DESPERTAR DA PRIMAVERA- Prove, abuse, lambuze!

Iei! Finalmente chegamos aqui!


Serei sincero com vocês: nem vocês meus caros leitores me aguentam por falar tanto dessa peça, nem a minha própria mãe. Você provavelmente imaginam uma mãe, muito carinhosa com seu filho, vendo o mesmo grudado no computador e fala: "Menino! Saia deste meio de entretenimento e vai ter um pouco de cultura! Pelo amor de Deus!". Já a minha mãe é um um pouquinho contrária e menos carinhosa: "Felipe meu filho! Para de ver peças e filmes! Não aguento mais você vendo isso! Voê não vai ser ninguém na vida desse jeito! Daqui a pouco te jogo pela janela (cortem a última informação, porque a mesma pode dar algumas ideias naquela mente perturbada). Mas vamos falar novamente sobre a mais nova peça que chegou à São Paulo, esta da grande dupla Moeller e Botelho, do mesmo excelente Avenida Q.


A história de O Despertar da Primavera se passa na Alemanha durante o início do século XX. Alguns de vocês já devem estar imaginando: aquela história chata de novo com pessoas se vestindo belamente e serem muito cínicas (palavra dificil! Anotem!). Mas esta não é uma história de época normal. Abuso seuxal? Aborto? Autolitarismo? Homosseuxalismo? Suicídio? Pressão familiar? Descobertas seuxais? Sim! Sim! Sim! Eis uma história de época interessante e eis a história de Despertar! É sobre tudo isso que a peça fala, sendo os principais personagens o intelectual Melchior, a corajosa e inocente Wendla, e o pobre coitado Moritz.


Se eu já estava me precipitando com esta belíssima peça antes mesmo dela chegar à São Paulo, imagina quando a vi minha frente. Eu, sem querer, soltei pros meus amigos: "Meu! Eu tô com um p** tesão de ver essa peça!". Depois dessa frase eles me olharam com maus olhos. Porém, ao final da peça eles ficaram com mais tesão que eu! Um até mesmo falou que precisava ir ao banheiro no fim do primeiro ato (foi sem querer também, mas logo que algo pervertido veio à nossa mente).


A dupla acerta em tudo que já acertava antes (afinal, é nisso que resulta num trabalho bem feito, o que foi a grande falha nas músicas de Hairspray): iluminação, cenário, figurino, músicas (por favor, nem compare Falabella com M&B), mas com certeza nesta peça eles conseguiram acertar em cheio no elenco, e é como meus amigos e eu dissémos: "ator que é ator faz teatro". Pierre Baitelli e Malu Rodriques, que fazem os principais protagonistas, nem parecem atores globais. Cada um atua belamente, tanto que pela primeira vez eu tive um arrepio por causa de uma atuação numa peça, olha só!
Mas quem rouba a cena da peça mesmo é o ator Rodrigo Pandolfo (Moritz), talvez por dar vida ao personagem mais interessante da peça: um menino esquizofrênico, viciado em sonhos eróticos e visto por maus olhos pelas autoridades. Se me arrepiei com a atuação dos principais, foi na cena da floresta que meu coração bateu à mil por hora! Uma cena cheia de tensão e sentimentos espalhados pelo ar.
E, acredito que todos os personagens coadjuvantes (assim como seus atores/atrizes), mesmo que não apresentem um foco, são importantes para a peça, para mostrar que não é apenas um personagem que sofre de abuso, que sente atração sexual, que é homossexual, que foge das autoridades. E o melhor de tudo: isso mostra que tudo pode acontecer com todo mundo, com qualquer pessoa, a qualquer momento, a qualquer lugar.


E (isso já é uma visão minha) uma das melhores coisas sobre esta peça (e sobre a original da Broadway [que teve como Wendla a Lea Michele do Glee) é que os pais/professores são interpretados pelos mesmo atores (aqui em SP, o Homem Adulto mudou, e é interpretado pelo ótimo Eduardo Semerjian). E aí vem minha interpretação: a autoridade sempre muda de personagem, mas não muda sua cara. Por exemplo, eu conheço muitas pessoas que nasceram mais ou menos nos anos 60, com decendência italaiana e que são machistas (se forem homens) e homofóbicas. As profissões de cada uma varia: professor, engenheiro, médico, arquiteto, mãe, pai, todos "personagens" diferentes da vida, mas todos com a mesma "cara" da sociedade típica da época, onde as coisas eram diferentes dos dias atuais. Isso ficou lindamente exposto nesta peça. Claro, não são todos os descendentes de italiano que são homofóbico, afinal, eu não sou, e os homossexuais amam musicais, o que mostra um excelente bom gosto pela cultura.

Se você uma ou um jovem aspirante pela vida, pela liberdade, pela beleza da ideologia boêmia, pela liberdade de expressão e que quer "viver" sentimentos nunca experimentados antes, te indico esta maravilhosa peça! E pessoal, vamos incentivar nossa cultura! Os ingressos de estudantes custam 25 à 30 reais e de adultos de 50 à 60. Isso sim é um preço justo! Vá ao Teatro! Vá asssitir um trabalho bem feito! Vá assistir O Despertar da Primavera! Que por sinal, "nossa" versão brasileira é bem melhor do que a original!

23 de março de 2010

QUANDO A CENSURA BATE NA PORTA DE CASA

Na nossa bateu, e olha como ficamos!


Aproveitando todo este sentimento revolucionário nacionalista televisivo (Pikachu, eu escolho você!) fico imaginando: já pensou se algum dia este blog for censurado? Claro que isso nunca iria acontecer, já que o blog nem é famoso, mas pessoal: já pensaram se alguns de vocês que escolhessem uma carreira artística fossem censurados por qualquer realização que vocês fizessem? Com certeza todos ficaríamos p's. da vida.


Mas por que será que vivemos num mundo de tanta censura? O que? Não vivemos num mundo de censura? Ah! Você assina apenas Veja e o mundo são rosas num campo de morros uivantes, não? Pessoal, vivemos num mundo completamente censuralista. Antigamente, claro era mais as claras do que nos dias de hoje. Laranja Mecânica, O Exorcista, músicas durante a ditadura militar, peças (o Despertar da Primavera não-musical e escrito em 1900, por exemplo), pessoas foram exiladas, e muito mais por causa da censura. Hoje, por exemplo, são notícias como a do CQC, que foi ao ar ontem, que mostram nada mais do que a verdade: o próprio governo e a mídia se contradizem.


Se você quiser ver o video da reportagem, relaxa que eu vou postar em breve, mas o assunto agora não é o CQC (será?), mas sim a censura. Por acaso, isto é uma pergunta só para esclarecer a mente borbulhante de vocês: existem muitas notícias sobre abuso sexual de meninos (ninguém culpe o Michael! Já está fora de moda! Perguntem para o Macaualy Culkin!)? Como são tratados os presos que saem de seus presídios? Preconceito racial? Sexual? Por que os professores estão fazendo greve? O que acontece com os índios do nosso país? Por que alguns funcionários fazem greve ? Claro que não! Afinal todo mundo pensa que todas essas pessoas vivem num submundo, são vagabundos sem vida e que fazem fotossíntese para sobreviver, oras (olha pra mim! Você pergunta se eu tenho uma vida?).


Afinal, vivemos numa televisão completamente machista (será?). As mulheres podem apresentar no máximo um programinha sobre babados dos famosos ou como ganhar merrecas (quem gostava do antigo Video Game levanta a mão!) e raramente sobre entrevistas (engraçado que a mulher mais rica de reallity show é ninguém menos do que Opra Winfrey!) e reportagens sérias (a Mônica do CQC [que por sinal está bem melhor do que no ano passado] é a única mulher do programa). Censura sobre a visão feminista são cortadas todo dia no lugar de piadas machistas e homofóbicas? Acredito que sim (afinal, a Marta Suplicy tinha um programa sobre mulheres e sexo, chamado TV Mulher. Existe hoje um programa assim que não esteja no canal GNT?).

E mais: por que ninguém ainda censurou o Dourado (que em breve farei uma postagem após a enquete, mas acho que vocês já sacaram o que eu acho dele), como fizeram com a propaganda da Havaianas (ainda mais que o cara é feio que dói)? Simples: o cara apenas apresentou na televisão morais nacionais, ou melhor ainda: ele mostrou a cara da televisão brasileira. Homem grita com mulher e mulher ouve. Mulher tem que cozinhar e homem coçar o saco. Homem tem que cuspir e caçar, enquanto a mulher cuida dos filhos. Mulher tem que satisfazer o homem e o mesmo não precisa fazer nada. Homem quer ver sangue, mulher que fique com o romance. Pensem sobre isso: quais são os motivos de censurarem algo em nossa televisão, cinema, internet e etc? Simplesmente pelo fato de não haver diversidade sexual, e sim de colocarem as morais em pedestais sagrados.

E para acabar sobre a discussão eis a primeira lição de casa para vocês: procurem notícias em seus bairros e nos bairros mais pobres de sua região e saibam sobre a situação dos mesmos. Eu não preciso: passo todo dia pela frente da parte "pobre" da Lapa, sem falar que minha mãe é professora e, bem, vamos dizer que sei como a mídia consegue distorcer muitas coisas, principalmente a imagem de "anjo" que tem o canditado-vampiro-que-assusta José Serra.

22 de março de 2010

POSTAGEM RÁPIDA SOBRE CERVEJA!

Vou te beber todinha!


Olhando numa das comunidades do Avenida Q, encontrei essa foto da Lucy De Vassa acima, bebendo um cerveja Devassa, e, se você meu caro e amado leitor que vive neste mundo de mídias, revistas e Veja, deve ter ouvido ou lido que uma propaganda (que por acaso é dessa cerveja Devassa) foi censurada aqui no Brasil. Minha opinião? Pelo amor de Deus! O povo brasileiro acha natural que em todo santo ano, no mês de fevereiro, uma mulher fique dançando nua na rua (e depois ficam irritados quando os menininhos e as menininhas ficam perguntando "Mãe, o que é aquilo que está pulando junto com a moça?". E os pais só responde: "Te explico depois" ou fala que são "efeitos especiais" [ok, delete o último]). Se é assim todo ano, qual o problema de mostrar uma mulher nua (que nem é uma mulher em carne e osso, mas sim o logo da empresa) num comercial de nem trinta segundos? Isso mostra como a nossa sociedade além de ser machista, é ao mesmo tempo hipócrita.


E esse evento que ocorreu com a cerveja Devassa também me fez lembrar da proaganda da velinha das Havaianas com o Cauã Reymond. Sabe, aquela da velinha que fala pra neta transar com o Cauã só por diversão. Outra propaganda censurada (e que era muito boa por sinal). Só por causa disso, ambas passarão aqui no blog (infelizmente não há video da cerveja Devassa sem censura)!











21 de março de 2010

MÚSICA DA SEMANA- 22/03

Aproveitando toda essa onda de musicais aqui no blog, ainda mais que finalmente consegui assistir O Despertar da Primavera (postagem essa semana. Dam! Dam! Dam!), a música dessa semana será nada mais do que de um musical. Um musical que por sinal, mesmo os nossos pais, considerados "idosos" por alguns filhos, e que odeiam musicais, simplesmente não conseguem odiar a música porque foi uma amostra da sociedade que ele vivia (sem falar que a música será de uma das próximas peças de M&B). Pessoal: Hair!
OBS: Indiquem as músicas do Queen para essa semana!
OBS 2: Pessoal, se vocês conhecem pessoas que amam musicais, falem para elas visitar o blog, cheio de informação sobre peças e filmes sobre o gênero. Vamos espalhar os musicais pelo Brasil!


Hair- Hair Soundtrack

19 de março de 2010

MÚSICA DO PÚBLICO- 19/03

Como eu disse pessoal, agora a música do público pode acabar a qualquer momento, certo? Eis então que a votação ficou mais um dia pela grande disputa entre duas músicas do musical Nine (engraçado pelo filme ter sido visto por poucas pessoas e ter sido um fracasso de bilheteria). Com certeza eu votaria em Cinema Italiano, se o mesmo estivesse em votação, mas eu votei em Be Italian, que foi o grande vencedor da disputa (que por sinal eu fiquei extremamente contente! 28 votos! Obrigado pessoal! Se quiserem, podem convidar seus amigos à visitar o blog e votarem nas músicas que vocês escolheram).
Indiquem as músicas dessa semana. Tema: Queen!


Be Italian- Nine Soundtrack

17 de março de 2010

MINHA MERDA DE VIDA- Estreia do novo bloco não é sobre a minha vida!

Que merda que eu tô!


Aproveitando o título de uma das músicas da peça O Despertar da Primavera (Nessa Merda de Vida) e eis aqui o título do novo bloco do blog! Esse novo bloco se baseia nas postagens do site Fuck My Life, onde as pessoas publicam os momentos bizarros das vida delas, do mesmo modo que eu publico os meus momentos aqui no blog. Então eu decidi postar as piores e traduzi-las aqui no blog! Espero que se divirtam:


"Hoje eu levei minha namorada de cinco anos e meio para um jantar familiar num restaurante. Depois que terminamos a sobremesa, eu me ajoelhei, peguei o anel da minha avó e fiz o pedido. Todo o restaurante ficou em silêncio profundo. Ela simplesmente olhou em volta e foi embora".

"Hoje fui na lavandeira e tudo estava limpo, inclusive o rato que estava escondido".


"Hoje eu estava dando uns amassos no meu namorado quando ele tentou colocar as mãos dentro da minha calça. Porém eu neguei, mas ele continuou insistindo, então finalmente cedi quando ele começou a cantar We Are The Champions". Detalhe: esse veio do Brasil.


"Eu recebi meu passaporte e vi que a data de nascimento estava errada. Então eu peguei minha certidão de nascimento e junto com o passaporte mandei um e-mail de volta. Pelo que parece, meus pais comemoraram meu aniversário errado durante 16 anos".

"Hoje eu fiz sexo no quarto da minha namorda, ou seja: poster do Jonas Brothers pendurados por todas as paredes, traveseiros, lençóis, coisas para cachorros e outras coisas esquisitas. Quando acabamos, ela se desculpou para todos os posters por verem aquilo, já que eles são puros".

"Hoje enqunato eu estava fazendo sexo, eu queria levar a minha namorada para a parede. Quando fui nos mover, meu pé ficou preso no cobertor e deixei ela cair".


Dica: sempre visitem esta postagem para se animar ou acharem que seu dia foi ruim. É o que eu faço!

14 de março de 2010

MÚSICA DA SEMANA- 14/03

Antes de tudo pessoal quero dar uma péssima notícia: essa música da semana provavelmente será brochante (eu acho) pelo seguinte fato: hoje, meus amigos e eu, fomos ao teatro assistir O Despertar da Primavera. Porém, como em São Paulo chove pouco, o teatro estava sem luz e não teve peça. Agora sem ingresso novo e sem dia, estou aqui com uma música que não era bem a que eu queria, mas acho que consegue agradar.
OBS: Indiquem a música do público! Tema: Musicais!


Devil in Me- Kate Voegele


13 de março de 2010

AMOR ALÉM DA VIDA- Uma pequena comparação com Um Olhar do Paraíso

Querido! Fomos lembrados por este jovem!


Muitas pessoas que vão ao cinema estão comparando o novo filme do Peter Jackson, Um Olhar do Paraíso (que comentei aqui no blog, além do fato de ter comentado que a crítica está massacrando o filme só porque não é uma obra-prima do diretor), com um filme bem antigo (1998) com o Robin Willians chamado Amor Além da Vida, que ganhou, na época, o Oscar de Melhores Efeitos Visuais.


A história é sobre uma família que começa a se despedaçar aos poucos. O casamento entra em crise assim que os filhos do casal morrem num terrível acidente de carro. Desse modo, o casal tenta superar esse trágico evento. Depois dos quatro anos do acidente, o pai da família também morre num acidente e vai para o Paraíso. Agora a história se foca no pai, que ao mesmo tempo que tenta achar seus filhos no Paraíso, tem que impedir de que que sua mulher cometa suicídio.


Acho que a comparação já está mais do que óbvia entre as duas películas, não? Ambos os personagens principais vão para o Paraíso, e, dessa forma vivem num lugar maravilhoso, repleto de efeitos especiais. Porém, enquanto Um Olhar do Paraíso tenha sido esquecido de ser pelo menos indicado para o Oscar de Melhores Efeitos e Fotografia, Amor Além da Vida ganhou o prêmio. Para ser justo, acho que os dois são magníficos, grandiosos e lindos, cada um com seu Paraíso de Efeitos Especiais.


Agora, quanto as atuações, não há dúvidas: Um Olhar do Paraíso ganha. No Amor Além da Vida, as únicas atuações boas são do Robin e do Cuba Gooding Jr. A atuação da Annabella Sciorra é bem mediana (principalmente na hora que ela começou a chorar. Nesta hora, minha irmã e eu começamos a rir [já sei pessoal! Não tenho coração! Mas ela começou a rir e eu não pude aguentar de rir junto com ela!]). Já para resumir, Um Olhar do Paraíso contém duas atuações magníficas: a atuação do Stanley Tucci e da Saoirse Ronan.


Mas o prêmio por Melhor Roteiro sobre Filmes-que-mostram-o-Paraíso fica divido. Amor contém muitos clichês (como na cena que o Robin Willians "faz" com que o pássaro comece a voar). Mas o roteiro também fica ótimo principalmente no final, na cena que o Robin Willians fala para sua mulher que prefere ela do que o Paraíso (que de acordo com a minha irmã, o filme a conquistou só por causa dessa fala).


Sendo assim, ambos os filmes são muito bons, cada um com sua qualidade. Um Olhar quer mostrar mais os efeitos e a história de uma menina que prefere o amor do que a vingança (embora o filme se contradiga no final), enquanto Amor Além da Vida é a história de um homem tentando salvar sua mulher de cometer suicídio.
agora que eu percebi: eu realmente amo filme com drama! Mas claro, apenas os filmes...