30 de agosto de 2010

EMMY 2010 FEITO PARA MAD MEN... OU NÃO?

Sad finale...


Hoje foi difícil escolher um assunto para falar aqui no blog, ou melhor, um para ser votado, não por aqui, mas pelo twitter. Estava uma batalha entre as análises de Gypsy's (do filme de 62, de 93, da versão brasileira e dos poucos videos que vi de uma das atrizes mais famosas do EUA e que faz a querida Mama Rose: Patti Lupone) ou o Emmy 2010 que passou ontem na televisão. Mas segui um conselho: falar sobre o Emmy antes que fique velho. Então vamos ao Emmy.


Eu ainda não assisti a premiação completa, só para vocês saberem. Ensinar uma cachorra a ficar sozinha é dureza, mas nos momentos em que ela parava de correr, morder meu pescoço ou fazer necessidades em lugares que não podia, entre outros, eu conseguia assistir aos poucos minutos que eu conseguia. E era impressionante: "tudo" ia para Mad Men. Eu falava: "Cristo! Por que tudo vai para essa série?". Mas provavelmente por ter ficado pouco tempo eu deveria estar louco, porque Mad Men ganhou apenas dois prêmios (embora o de melhor série dramática seja um dos mais importantes).

Agora, quem estava puxando os cabelos mesmo eram os fãs de Lost e que ficavam aflitos com a série perdendo prêmio após prêmio, com os olhos grudados na televisão e em pânico para saber se a série poderia ganhar o último prêmio e o maior de todos: como melhor série dramática. Mas não foi dessa vez e não terá uma próxima. Ainda fiz uma brincadeirinha sobre o fato: "Ok, posso fazer uma piadinha? Lost is losing". Claro, ainda brinquei que quem quisesse me xingar por ódio, podia, e farei o mesmo convite aqui (não perca sua chance!).

Glee ganhou um prêmio que era mais do que obrigatório: o prêmio de melhor atriz coadjuvante para a Jane Lynch, o único que a série realmente merecia, porque a segunda parte nem se compara com a primeira. E claro, nós fãs sabemos que a Sue Sylvester é uma das vilãs mais ácidas e divertidas da televisão e o prêmio para a atriz foi nada mais do que merecido. A mesma coisa para Jim Parsosns, o "nosso" querido Sheldon de The Big Bang Theory (Bazinga!).

Agora só me falta assistir à este tão famoso Mad Men e também Modern Family, que também foi um dos grandes campeões da noite. Gostei do Emmy. Nada muito focado, com a mesma série ganhando mil prêmios seguidos e injustamente. Agora, vai pelo gosto de cada um se foi justo ou não. Fazia tempo que eu não assistia uma premiação sincera. Será que o Emmy é a única premiação que ainda não foi vendida? Oremos!

29 de agosto de 2010

MÚSICA DA SEMANA- 29/08

Cada semana é uma desculpa diferente, pelo que parece. A desculpa de hoje é a Lola. Ela dormi durante alguns minutos e depois acorda e chora por mim (acho que uma das coisas mais dolorosas é ensinar seu cachorro a ficar sozinho! Ela fica sozinha e chorando, mas tem que deixar. Oh dó!). Mas a música nem chega perto da Lola (mas semana que vem provavelmente). Na verdade a música é da banda 3OH!3 que fará um show no Brasil (não sei quantos shows são. Gostaria de ir, mas a grana é da Lola. Ela é minha nova administradora/dívida). Então ficamos com os videos mesmo! Uma "novidade" da banda e com a participação da Kesha!

My First Kiss- 3OH!3 feat Kesha



28 de agosto de 2010

E O MUNDO SERÁ SÓ DA LOLA!!!

Depois de um ano, com testes e procuras, finalmente minha bulldog francesa veio ao mundo! Ou melhor, para a minha casa. E vamos dizer assim, a primeira noite foi tensa (tive que dormir no chão da área de serviço, então coloquei um saco de dormir. Ela fez xixi nele. Tive que pegar outro. Mereço), mas a diversão com este ser é a melhor coisa! E já que eu falava o ano passado inteiro do maldito cachorro que eu tanto queria, veja agora as malditas fotos deste lindo ser!


26 de agosto de 2010

HOOK: A VOLTA DO CAPITÃO GANCHO- Nostalgia dos clássicos Sessão da Tarde

Robin Willians: What the hell?



Embora o filme não tenha passado nenhum desses dias na Sessão da Tarde, que ultimamente só tem passado filmes sobre cachorros que falam ou herdam mansões e dinheiro, ou filmes sobre Barbie's que se tornam em pessoas de verdade por causa de um livro de feitiços, nós da década de 80/90 sabemos que um dia a Sessão da Tarde, assim como a Tv Cultura, já foi cheia de filmes de cults de aventuras (Muppets), lindos (ET) e divertidos, cheios também de humor negro (Abracadabra). Mas entre esses, Hook: A Volta do Capitão Gancho é meu predileto e também meu filme favorito do tio Steven.


A história é sobre Peter... Banning? Sim, a história é sobre uma mulher e seu marido, Moira e Peter respectivamente, que possuem dois filhos, Jack e Maggie. Moira, por sinal, é parente da mesma Wendy das histórias de Peter Pan. Porém, o nosso Peter é um advogado que não liga para os seus filhos e seu trabalho é de falir empresas, um "pirata" como a própria Wendy diz. Após uma comemoração em homenagem à Wendy, os filhos de Peter são capturados pelo famoso Capitão James Hook. E então Wendy conta para Peter que na verdade, ele éo próprio Peter Pan! Mas ele não se lembra de nada. Ele cresceu.


Melhor parar por aqui se não eu vou contar o filme inteiro para vocês. Sei que o filme tem seus erros de continuidade, algumas frases forçadas, algumas atuações meio piegas e tudo o mais, porém é o meu favorito do Steven Spielberg. Entendam que para mim existe uma diferença entre meu filme favorito e o melhor filme dele. Mesmo Hook sendo meu filme predileto, admito que A.I-Inteligência Aritificial é o melhor filme do Tio Steve, pois é a mistura de toda a tecnologia, infantilidade e magia na qual ele acredita. Claro, dos que eu já vi o melhor é A.I. Nunca assisti os grandes clássicos, como Tubarão, A Lista de Schindler, O Resgate do Soldado Ryan, Os Caçadores da Arca Perdida, entre outros. Então A.I pra mim ainda tá no topo!


Ao mesmo tempo que Hook tem suas frases forçadas, outras são belíssimas. Ao mesmo tempo que algumas interpretações são piegas, principalmente quando falamos do elenco infantil, algumas são muito boas. Adoro a Maggie Smith e sempre gostei dela! E a adorei como Wendy! E Robin Willians, mesmo que muita gente não suporte ele, tem uma atuação sincera, assim como Julia Roberts, Caroline Goodall e a pequena Amber Scott, que além da atuação sincera nos encantam. Dustin Hoffman tem seus momentos bons como Capitão Gancho, mas não é tão assustador como seu personagem deveria ser (além de ser quase irreconhecível), embora eu adore seus momentos de humor negro (cena da quase suicídio e "já de uma mão" incluídas neste pacote!).


Além de ser uma divertida aventura para as crianças e adultos, Hook com certeza tem uma das melhores fotografias cinematográficas da década de 90, com vontade de pegar certas cenas do filme e coloca-lás na parede (como a imagem da Terra do Nunca ao lado. Oh tesão!), e aposto que este foi um texto nostálgico para muitos de vocês, não foi? Então, se você assistia aos clássicos da Sessão da Tarde (esqueci de mencionar A Lagoa Azul! Que por sinal não tinha nada de inocente. Como eu poderia ter assistido aquele filme com cinco anos?) e aos clássicos da Tv Cultura, tente assistir novamente à este cult. E lembrem-se sempre: comente!

24 de agosto de 2010

OS OUTROS- Nicole mosta para nós como ser uma das melhores atrizes vivas

Ele nos encontrou mãe...

Aleluia! Podem começar a cantar junto comigo! Finalmente consegui assistir ao Filme do Mês! O primeiro problema foi achar o maldito em minha "pequena" "dvdoteca", e o segundo foi assisti-lô sem dormir, e ontem eu finalmente consegui! Mesmo tendo prova amanhã (sempre quando a matéria é fácil a gente não estuda, né? Tem "certeza" de que vai bem), eu precisava quebrar essa dívida com vocês, porque se tem uma coisa que eu odeio é dívida. Mas então vamos à Os Outros, um dos melhores suspenses atuais.

A história começa com a Grace e sua família morando numa grande casa antiga. Como a casa é muito grande (uma mansão básica, sabe?), Grace contrata novos empregados e ensina coisas básicas para eles, como o fato de que as cortinas devem estar sempre bloqueando a luz do Sol, já que os filhos de Grace, Anne e Nicholas, sofrem de alergia. Sendo assim, a casa fica em seus maiores momentos em plena escuridão. Enquanto Grace cuida de seus filhos e fica à espera de seu marido, que foi lutar na guerra, coisas estranhas começam a acontecer na casa quando os novos empregados chegam.

Se você já sabia o final do filme assim como eu, infelizmente você não ficará tão surpreso quanto eu. Claro, filmes de suspense sempre deixam umas pistas aqui e ali, sendo possível encontrar o desfecho logo nos primeiros trinta minutos do filme, com é o caso de Os Outros. Mas o que diferencia Os Outros dos diversos filmes de suspense são três coisas: Nicole Kidman, sua personagem, e o verdadeiro desfecho, ou melhor, a conclusão sobre a "notícia fatal", já que normalmente a maioria dos filmes de suspense acabam na notícia ou fato surpreendente, ao invés de continuar com a tensão criada com o fato(O Sexto Sentido, cof cof).

Além disso, como eu tinha dito antes, um dos maiores motivos que vale à pena para conferir ao filme é a Nicole Kidman. Se não fosse a minha e só minha Meryl Streep, a minha e só minha Nicole Kidman seria a melhor atriz viva, e mostra isso muito bem em Os Outros. Ao contrário dos filmes de suspense que mostra mulheres louras a beira de um ataque de nervos, Nicole não grita, nem berra, nem nada, e isso é uma das coisas mais fascinantes no filme: Nicole entra em pânico, sim, mas fica silenciosa. O que isso nos trás? Angústia, tensão, suspense, a espera de uma reviravolta? Sim! Mas ela continua silenciosa e chorando pois fica pensando numa solução.

Outro motivo para você assistir à Os Outros, como você deve ter percebido neste texto, é que ele foge dos suspenses clichês. A decisão final de Nicole e seus filhos é a melhor coisa. Ela deixa bem claro: "Essa casa é minha, e não vou sair dela". Agora, será o melhor filme de suspense que já existiu? Não sei, mas com certeza o melhor das atualidades. Agora provavelmente muitos fãs do M. Night Shymalan vão querer me matar, mas eu prefiro bem mais Os Outros do que O Sexto Sentido. Será que agora eu morro? Não sei, mas antes disso lembrem-se sempre: comentem! Ainda mais agora que vocês podem indicar novos filmes para o Filme do Mês! Não vai perder!

22 de agosto de 2010

MÚSICA DA SEMANA- 22/08

Pessoal, este mês talvez seja o mais acessado do blog! Iei! O Blog tem conseguido do nada uma repercussão maior, não sei da onde,as agradeço por ela. Então, nada melhor para comemorar, certo? E foi assim que eu pensei nesta música. Ela é provavelmente a música mais famosa do Sr. Sinatra, mas acho que um tom moderno também fica legal, sem falar que eu estava devendo uma música desse artista há uma semana. Com vocês: Michael Bublé!

Come Fly With Me- Michael Bublé

20 de agosto de 2010

CENA DE CRASH- NO LIMTE CAUSA POLÊMICA NA ESCOLA


Mantenha essa coisa longe de mim menino!


Hoje ainda vou tentar postar sobre Os Outros que estou devendo para vocês, mas este assunto é urgente para todos aqui presentes. Vocês já assistiram a um dos filmes mais badalados de 2004, Crash-No Limite? Foi um filme que concorreu e ganhou ao Oscar de Melhor Filme e tudo o mais que tinha direito. Porém, claro, eu tenho que ser o chato que não gosta. Sei lá, todo mundo se emociona com o filme, já eu acho bem clichê (principalmente a cena do carro que todo mundo idolatra). Mas este não é o assunto. É algo bem mais terrível.

Durante uma cena do filme, uma mulher estava fazendo sexo oral em seu marido dentro do carro. A polícia para o carro do casal. O policial pede para o homem sair do carro. A mulher começa a discutir e acaba sendo revistada, ou melhor, violentada pelo policial na frente de seu marido e de outro policial que não fez nada para deter seu colega. Mas não violentada de só ter passado a mão nas pernas e cochas, mas ele também tocou nela (sim, lá na...vagina). E ela faz isso para que o marido dela não sofra nenhuma multa ou chamar muito a atenção da mídia por ser um produtor de TV. Mas a mulher fica olhando para o marido, esperando uma reação ou algo do tipo. Mas nada. Sendo assim, o homem deixa a mulher ser violentada para não causar nenhum transtorno.


Então a discussão começou na minha sala. As meninas falavam: "Como a mulher deixou isso acontecer? Ela é trouxa? Se fosse comigo eu gritava, sei lá!", ou "eu matava esse infeliz desgraçado do inferno", coisas bem carinhosas com o sujeito. Já os meninos, muito espertos como só eles mesmos, falavam: "qual o problema? Ela fez por um bem maior! É melhor do que passar à noite na prisão e ser molestada do mesmo jeito". Lógico que eu, como a pessoa que sou, não pude ficar do lado que não fosse o das meninas, porque o lado masculino naquele momento era uma vergonha para mim.


Vamos concordar que a prisão dos EUA é bem diferente daqui do Brasil, sem falar que lá é praticamente pagar fiança e ir embora, enquanto aqui as coisas demoram anos para serem julgadas. O casal poderia muito bem obrigado pagar e ir embora. Afinal, eles não têm dinheiro para isso? Claro que tem! O assunto poderia acabar por ali e o policial teria seu castigo. E gente do ceú, o comentário deste ser do sexo masculino foi não só machista como egoísta e estúpido. Lógico que ele está falando isso, ele não tem que se preocupar em ser estuprado quando sai de casa, ou se o vestido é muito curto e quando ocorrer um estupro o infeliz do estuprador quando for pego fale: "Ela queria! Olha o tamanho do vestido que ela estava usando!", como já aconteceu uma vez como desculpa. Duvido que se um policial pegasse dois dedos e enfia-se no cú dele nem por dois minutos para ele não ir preso, ele iria deixar.

Mas o homem acha que é assim mesmo, não? Lembro até hoje o caso do menino que foi estuprado pela professora. Todos os homens, sem uma exceção, falavam: "Ah! Mas o menino não foi estuprado! Ele tava fazendo sexo com ela! Sortudo!". Claro, porque para alguém de dez anos que brinca de maçinha e que acha que a raiz quadrada de 4 é arco-íris, isso é muito normal. Engraçado como os adultos e jovens masculinos de hoje são tão estúpidos que além de não colocarem respeito nas crianças, eles não colocam respeito nas pessoas que amam, como o homem do filme fez com sua mulher. Ainda bem que as meninas da minha sala falaram: "Ninguém toca na minha!". Se não for para prazer, ninguém deve tocar mesmo! E lembrando sempre: comentem!

18 de agosto de 2010

[REC] 2- O exorcismo entra na parada também

Me fudi também!

Vocês ficaram ansiosos com a postagem de hoje? Espero que sim, já que a postagem de [Rec] trouxe quatrocentos visitantes para o blog na segunda-feira! Mais um recorde que conseguimos bater! Muito obrigado à todos por terem dedicado alguns segundos e minutos de suas vidas e terem visitado e lido o blog e a postagem. Mas, vamos ao assunto que muitos de vocês devem estar quase puxando os cabelos (inclusive o meu) para saber o que acontece com a continuação de [Rec], e ainda mais: o por que de ter gostado do filme.

A história do primeiro filme acabou com a nossa repórter sendo puaxada e sumindo na escuridão do prédio. Este filme agora fala sobre três soldados e um funcionário da saúde que entram no prédio infectado, no qual a maioria das pessoas já estão infectadas. Porém uma surpresa aparece: o funcionário da saúde não é um funcionário qualquer. Crianças invadindo o prédio, exorcismo, capeta, religião e Vaticano também estão envolvidos e incluídos nesta continuação.

Todas as pessoas saíram do cinema falando: "Nossa! Odiei". "Credo! Até ri!". Então eu fiquei imaginando se essas pessoas não entenderam [Rec] ou fui eu que não assisti ao filme certo ou se não entenderam a continuação. E para falar sobre continuidade você deve parar de ler aqui se não quiser saber sobre nada e pular para o próximo parágrafo. Não parou? Nada de reclamar depois. Chorou parou, hem! Então: no final de [Rec] descobrimos que a menina Medeiros na verdade estava possúida e seu sangue era analisado pelo padre que a prendeu (Igreja envolvida, para variar). Com o sangue da menina Medeiros, o padre estava tentando achar uma reação química das pessoas possuídas e assim conseguir um antídoto. Se você não entendeu isso dos últimos cinco minutos de [Rec], as probabilidades de você odiar a continuação são altas!

Foi por isso que gostei de [Rec] 2. O exorcismo ficou envolvido e eu a-d-o-r-o capetas espalhados por aí (não é à toa que meu filme de terror favorito é O Exorcista). Muitos falaram que ficou muito "forçado" o fato de demônio estar envolvido com a infecção, mas como eu disse antes, é questão de prestar atenção. A mesma coisa aconteceu com A Bruxa de Blair. Ontem mesmo na sala falei pro meu amigo que não havia bruxa, mas sim um cara que morou na cidade e que estava fazendo tudo aquilo. Ele ainda acredita na bruxa. Isso meus caros também é questão de interpretação e deixar o filme "aberto" .

Além disso, deu muita vontade de bater palma durante o filme (no noitão isso é tão normal que vocês não fazem ideia!), porque nos momentos finais é ótimo um personagem falar: "Não quero mais ficar aqui!" e atira na única possibilidade da coleta de sangue. É como se tivesse sido uma parte do pensamento do público. Sempre pensamos: "por que eles não saem daí? Faz alguma coisa porra! Corre! Se fosse eu..." e por aí vai. E o personagem mete bala! Mas claro, sempre tem a reviravolta clássica. Isso que eu chamo de manipulação (e não Salt. Ódio desse filme.).

Como eu disse, esse [Rec] 2 é questão de interpretação (para alguns é zumbi, para outros é demônio), sem falar que além do filme ser voltado para o terror (a vá!) o filme também tem um pouco de entretenimento. Sei lá, este segundo não levei tanto à sério, era mais para me divertir. Ainda mais com um pouco de exorcismo, é quase impossível que eu não abra um sorriso no rosto, com exceção de O Exorcismo de Emilly Rose. O filminho chato! E se for verdade tudo que o filme fala, que tudo é baseado em fatos reais, então acho melhor dormir a partir de agora com uma cruz no peito. E pessoal, lembrando sempre: comentem!

16 de agosto de 2010

[REC]- E agora a Espanha entra na jogada dos novos filmes de terror

Fudeu!


Depois de Cloverfield- O Monstro ter retomado o estilo de filmagem que tornou a fama de A Bruxa de Blair o que é até os dias de hoje, vários cineastas decidiram fazer o mesmo nos últimos anos. Atividade Paranormal, Contatos de Quarto Grau, Quarentena e num futuro próximo, Atividade Paranormal 2. Mas outro filme muito comentado foi o filme espanhol de 2007, Rec, terror do mesmo estilo. Agora com o lançamento de sua continuação, Rec 2 (que original), o filme e sua continuação foram passados no noitão do Bellas Artes aqui em São Paulo e pude conferir com mais três amiginhos.


A história começa com uma entrevistadora num posto de bombeiros fazendo uma entrevista para o programa Enquanto Você Dorme. Depois de muito tempo sem sinal de problemas, a sirene do posto toca e os bombeiros vão em busca do seu serviço. Junto com a entrevistadora e seu câmera-man. O local é um pequeno prédio residencial no qual uma senhora começou a gritar do nada. Assim que entraram no prédio, o lugar é isolado e colocado em quarentena pois existe a possibilidade de existir um vírus lá dentro. Dentro do local os moradores começam a entrar em desespero já que as pessoas infectadas tendem a matar as pessoas normais.


Falar sobre filme de terror começa principalmente por gostos. O primeiro é gostar da história ou não. It- A Obra Prima do Medo, por exemplo, eu não gosto muito do filme, porém a história é bem divertida! Já O Chamado, O Grito, entre tantos outros que são levados à sério para dar medo acbam derrapando e se tornam em filmes de comédia. Em segundo lugar o filme pode dar susto ou não. Atividade Paranormal, por exemplo, eu não tive medo, mas fiquei muito tenso na maioria das cenas. No caso de Rec, pulei uma vez de susto, mas assim como Atividade, vale mesmo pela sua tensão, ainda mais nos últimos momentos do filme!


E para continuar falando melhor e sobre Rec, eu preciso falar sobre Rec 2. Mas claro, não servirei de bandeja para vocês estes dois filmes! Se vocês ficaram ansiosos para saber mais sobre este filme, vocês podem alugá-lo na locadora mais próxima de você e esperar o lançamento de Rec 2, porque por aqui a continuação só será postada nesta quarta-feira (tensos? Vocês não fazem ideia do que acontece no Rec 2!). E se Deus quiser (e ele quer) eu encontro Os Outros aqui em casa. Algum demônio "arrumou" minhas coisas e não sei onde está o filme. E quando digo em demônio, digo mãe, pai ou irmã, sendo o terceiro membro, o mais provável dos capetas aqui presentes.

15 de agosto de 2010

MÚSICA DA SEMANA- 15/08

Todos vocês pensavam que a música de hoje seria do Bublé, ? Mas como não sou previsível, não será. Ok, será na semana que vem. Mas a música de hoje é uma celebração, como diria o diretor Charles Moeller sobre Hair! Sim, o elenco de um dos musicais famosos da história da Broadway ganhou seu elenco brasileiro e você pode conferir ele aqui! Vamos aproveitar essa comemoração e o desespero paulistano pelo calor do Sol (que frio da po***) para mais uma música. E essa semana pessoal, terá muitos filmes (de terror)! Espero que vocês possam conferir e comentar!



Let The Sunshine In- Hair



13 de agosto de 2010

MICHAEL BUBLÉ- Este é principalmente para fãs de musicais!

Só falta a minha peça!


Caramba! Faz tempo que eu não falo sobre música aqui no blog, exceto é claro a Música da Semana, que praticamente nunca deixo de fora. Se não me engano, a última vez que eu falei sobre um artista foi a Lady GaGa, né? Ou será que foi o Paramore? Não sei, só me lembro mesmo que Mika foi o primeirão, porque eu tinha muita vontade de divulgá-lo (e por falar nisso, não estou achando estas postagens e não sei onde enfiei. E não enfiei "lá"!). E com essa mesma intenção de divulgar, lhes apresento o cantor Michael Bublé.

Conheci o cantor apenas de nome há muito tempo, mas nunca tinha parado para ouvir as suas músicas como se eu fosse morrer se não ouvisse alguma. Num belo dia lá no sítio dos meus primos (um Momento Bizarro se não me engano conta o que é esse sítio) teve a fight de sempre para colocar músicas nos alto-falantes. Minha prima, dona da casa, lógico que ganhou, e colocou Michael Bublé. Foi admiração à primeira vista (amor não, né? Isso eu deixo para a Vanusa [fail]).

O cantor (canadense! No-america-included) tem uma excelente voz, ao contrário do que estamos vendo nos últimos anos que o que importa é o estilo (um exemplo claro são todas as boy-bands do Brasil que, aparentemente, todos os vocalistas têm a mesma voz. Bizarro!). E o mais impressionante é que, mesmo sendo jazz, é aquele jazz animado, que eu adoro! Claro, de vez em quando Bublé volta pra o jazz clássico, que embora seja bom (e meio deprimente), eu prefiro mais o animado. Bublé já cantou Sinatra, Cantando na Chuva, Elvis, uma música do filme Dança Comigo?, entre muitos outros clássicos.

Para os fãs de musicais, que gostam de uma boa letra de música e uma boa pessoa cantando, Michael Bublé é uma excelente escolha! Haven't Met You Yet, Can't Buy Me Love, Come Fly With Me, Heartache Tonight, Save The Last Dance for Me, estão entre as mais animadas que eu já ouvi dele. Calma pessoa, eu conheci o cara anteontem e baixei toda a sua discografia. Ainda tem muita coisa para ouvir!

11 de agosto de 2010

ATORES SEM GRAÇA E QUE FAZEM FAMA

Você não gosto de mim?

Ontem vocês assistiram ao Programa do Jô? Bem, se vocês não assistiram, provavelmente acabaram perdendo um dos melhores programa dele que já passou. Nele estavam vários comediantes, entre eles Marcelo Adnet, Dani Calabresa e Bruno Mazeo, fazendo piadas, falando de humoristas, sobre humor em si, entre outros. Uma das discussões foram humoristas que não são engraçados e nisso, mencionaram o filme Borat. Claro que me lembrei de mais coisa do que apenas o Borat, e decidi comentar por aqui.

Borat-O Segundo Melhor Repórter do Glorioso País Cazaquistão Viaja à América (nome mais curto só mesmo Bambi) foi um dos filmes mais aclamados de 2006 e que conseguiu com que Sacha Boron Cohen conseguisse uma pequena fama, tanto que fez uma participação no filme Sweeney Todd do Tim Burton, e além disso mais um projeto realizado: Bruno. A história conta exatamente como diz o título: um repórter do Cazaquistão vai aos EUA e faz um monte de cagada e confusões no país.


Além de ter sido um dos filmes mais aclamados, o filme ainda recebeu o Globo de Ouro de Melhor Ator para Sacha. Agora eu pergunto para vocês: "Como?". Quando aluguei (sim, paguei para ver) Borat eu pensava que ia chorar de tanto rir. No filme a única coisa que eu vi foi a imbecilidade norte-americana (conheço americanos que são Borat's da vida) que já conheço. Fico imaginando se eles deram o Globo de Ouro ao ator porque numa determinada cena Borat e seu agente ficam pelados e os genitais do agente vão para a cara de Borat. Isso não é atuação, isso é humilhação. Sem falar que o filme em si, é sem graça. Comédia palestão da pior qualidade, forçada e nem um pouco inteligente, salvando apenas uma cena: a cena da bandeira.


Mas tem um alguém que conseguiu ganhar de Sacha e seu Borat. sabe quem? O único e imcomparavelmente ruim Will Ferrell! O cara fez: Um duende em Nova York, Zoolander, Ricky Bobby, entre outros tantos filmes ruins, além de sua péssima atuação (e nisso já posso incluir A Feiticeira e Penetras Bom de Bico). Mas ao contrário de Sacha, Ferrell já provou que pode fazer protagonizar bons filmes, como mostrou em Os Produtores e em seu melhor filme: Mais Estranho Que a Ficção. Embora não possua uma grande fama no Brasil, nos EUA ele é quase um rei.


Outro que chega aos pés de Ferrell é o Adam Sandler. Novamente filmes bons são poucos: Click, Como Se Fosse a Primeira Vez (eu não adoro, mas gosto bastante!), Tratamento de Choque (esse ainda com cena musical!), mas que também caiu em armadilhas, entre elas uma dos piores comédias dos últimos anos: Zohan (horrível, sofrível, sem graça, sem história e completamente ridículo! Está lado à lado de Rrrrr: Na Idade da Pedra).


Será mesmo que o Brasil precisa de humoristas como estes na televisão e no cinema? Por favor, não! Já chega de comédia palestão como Casseta e Planeta e Zorra Total (que só possuí os "seguranças" e a médica "cheinha" como engraçados. Os outros são dores. Dores de cabeça!). Sai de Baixo, A Diarista, Os Normais, comédia inteligentes, porém ao mesmo tempo palestão, para agradar todos os públicos. Nem comento Som e Fúria, uma das melhores minisséries já feitas e com uma comédia inteligentemente surpreendente para a Globo.
Ainda bem que foi um tema discutido no Programa do Jô, porque eu o adoro! Como entrevistador e como comediante. Ele, além da Fernanda Young, são os melhores entrevistadores do país! Sabe por que? Porque eles fazem você... Rir!