1 de fevereiro de 2011

UM LUGAR QUALQUER- O problema da repetição e do bloqueio

Quantas cenas em piscinas já existem?

Eu estou com bloqueio. Isso é um fato e tenho que consertá-lo o mais rápido possível, pois vi muitos e muitos filmes (muitos mesmo) e nem postei eles por aqui (Pulp Fiction, A Bela e a Fera, O Poderoso Chefão, Desfile de Páscoa, etc.). E olha que agora eu não posso ter bloqueio mesmo, porque, pelo que parece, novos convites surgiram para eu escrever em alguns sites (eba!). Então eu estou cada vez mais me esforçando para ver se sai um texto, nem que seja bem básico. Dessa vez será sobre o primeiro filme que vejo da Sofia Copolla: Um Lugar Qualquer.

A história é sobre um ator, que assim como eu, está com bloqueio. Não exatamente um bloqueio, mas sim numa depressão-de-ator. Sabe aquela coisa de "tenho dinheiro e todo mundo me ama só que não dou a mínima"? Pois é: essa é a situação do ator. Ele está vazio. Mas agora ele tem que rever suas ações, já que sua filha ficará com ele por um bom tempo, além do fato de que seu novo filme está para estrear.

Na verdade o problema do filme é que Sofia fez um filme "bonitinho" para ser cult. Fez uma cena belíssima na piscina, usa poucos diálogos, dá focos em muitas cenas, o final é a explicação do título, entre outros fatores que qualificariam o filme como cult. Mas é exatamente esse o problema, pelo menos comigo. O filme é bom, confesso. O problema é que já estou cheio desses filmes de estrelas em depressão. Pra mim é tudo a mesma coisa. Sofia não tenta criar algo de diferente. Ele já sabe o pacote de um filme cult e é assim que decidiu dirigir seu filme, porque ela, assim como eu e o personagem, estamos vazios.

Bem, sem mais o que dizer (na verdade não quero escrever mais nada porque esse texto é um dos meus mais porcos), Um Lugar Qualquer é praticamente um filme-guia, sendo facilmente entendido pelas entrelinhas como: "Como fazer um filme cult para idiotas". Está tudo bonitinho. Mas sinceramente: esse tipo de filme pra mim, assim como os de boxeadores (todo ano tem um filme de boxe no Oscar) estão com os dias contados.

Um comentário:

Lóia disse...

Acho que esse filme é onde a sofia coloca todas as características dela,de um jeito mais forte.A filmagem do silencio,as mensagens subliminares,o final sem saber...
Poxa,voce TEM que assistir os outros filmes OOOTIMOS dela!!!
Encontros e Desencontros,As Virgens Suicidas e Maria Antonieta.Seria mais facil começar com Encontros e Desencontros,pra entender o jeito do Um Lugar Qualquer.
Eu acho ela incriivel!(acho que eh de familia...)
Beijos!